FORMAÇÃO

Realizamos diversas formações em Cinema, Música, Teatro e Artes Visuais, adaptáveis a diferentes públicos e necessidades educativas. Veja AQUI os vídeos das nossas Oficinas.

Escrever sem palavras

Oficina de dramaturgia visual de Caroline Bergeron.
Idade: para adultos/artistas/professores de todos os ciclos.
Para 15 a 20 participantes.

Despertar o autor selvagem que existe em cada um de nós
Essa oficina propõe um percurso para ir ao encontro de um a escrita de espectáculo que, por além de contornar as dificuldades literárias inerentes ao teatro tradicional, estimula a autoria dos participantes. O processo visa a desenvolver uma criatividade narrativa cujas fontes de inspiração enraízam-se nas experiências, vida onírica e intuição pessoais de cada um, desenvolvendo uma linguagem visual própria. Através de objectos, tecidos, música, sons, fotografias, os participantes são convidados a inventar pequenos universos.

Libertar o olhar do espectador
O método procura também abrir outros canais para a compreensão do espectáculo, encarar um espectáculo não só como fonte de informações tratáveis racionalmente mas também como uma experiência cognitiva visual, sensual e emocional profundamente subjectiva.

Construtores de bandas sonoras

Nesta oficina exploramos instrumentos, objectos sonoros e a voz para compôr a banda-sonora de um filme. Começando por fazer uma abordagem no âmbito da história do cinema, vamos ver e ouvir alguns exemplos de como o som e a música podem contiribuir para criação de um ambiente ou de uma narrativa. Depois, através de improvisações dirigidas, vamos compondo e ensaiando uma música e sons para uma curta-metragem. No final gravamos e em seguida projectamos o filme, com banda-sonora criada em conjunto.

A minha bracilagem – Diários orgânicos de serei@s

Ese a nossa vida ficasse escrita no nosso corpo? E se fica? Nas sereias, a bracilagem, uma espécie de barbatana que cresce no braço, tem marcados todos os acontecimentos importantes das suas vidas: os pais, os irmãos, os padrastos e as madrastas, os amores, as tempestades, as zangas, as mortes, os reencontros. E quando uma sereia morre, a sua bracilagem separa-se do corpo e vai parar ao fundo do mar. As sereias mais novas, quando têm dúvidas, vão até esse local –“os arquivos”– ler essas bracilagens para se inspirarem e procurarem soluções para os seus problemas. E assim o conhecimento dos que vêm antes passa para os que chegam depois, fazendo avançar esta curiosa civilização. Nesta oficina, vamos aprender não só a ler e interpretar as bracilagens das sereias como a construir o nosso próprio diário orgânico. E da tua vida, o que é que ficaria desenhado na tua bracilagem?

Conceção e orientação: Caroline Bergeron.

Do filme à música

Uma oficina que inclui a escrita, rodagem e montagem de uma curta-metragem, e a composição e performance da sua banda-sonora ao vivo: um filme-concerto.
Divididos em 2 turmas, Cinema/Música, ou em conjunto, vamos pôr em prática algumas das noções fundamentais do cinema, ao mesmo tempo que vamos explorando sonoridades e conceitos musicais para a sua banda-sonora.
O tema será escolhido pelos participantes a partir da premissa de que o cinema pode de alguma forma guardar aquilo que mais amamos: «na tua terra, cidade ou região, se tivesses de escolher uma coisa para guardar num filme – um local, uma paisagem, uma pessoa, uma história -, o que é que escolhias?»
Depois da escrita do argumento, rodagem e montagem das imagens, projectamos o filme com os sons e a música feitos ao vivo. Um filme-concerto, que pode ser seguido de uma conversa com o público sobre o processo de trabalho com os participantes.
O filme com a banda-sonora gravada será ainda disponibilizado para download dos participantes e para arquivo.

Fale conosco.

CONTACTOS

Estamos na escuta.

This is a unique website which will require a more modern browser to work!

Please upgrade today!