FESTIVAL CAÓTICA e ENCONTRO INTERNACIONAL

Sendo um dos elementos distintivos da Caótica a criação para a infância e público familiar, lançámos em 2015 a ideia de criar um Festival e um Encontro Internacional dedicado exclusivamente a esta realidade, constituindo-se como uma mostra do trabalho desenvolvido no País, com uma componente internacional na programação e na presença de programadores estrangeiros, abrindo assim espaço para a reflexão conjunta sobre temáticas específicas deste tipo de trabalho artístico.   ///   Dos dois Encontros de reflexão em 2015 e 2016 sob a designação de “Encontros – Criação para a Infância”, resultou um conjunto de Contributos para a melhoria das condições de criação, programação e circulação de espetáculos para crianças e famílias em Portugal, que contou com cerca de 90 signatários. Pretendeu informar as políticas públicas sobre esta área e foi entregue ao Ministério da Cultura no início de 2017. Pode visualizar ou fazer o download do documento, clicando AQUI.

Entre 23 a 25 de Outubro de 2016, realizou-se a 2ª edição do Encontro internacional entre artistas, programadores e outros agentes culturais, concebida como trabalho de construção a partir do Encontro anterior (2015). Assim, foram levantadas várias problemáticas e colocadas várias perguntas para continuar a pensar. A partir de algumas dessas perguntas o Encontro procurou contribuir para uma maior compreensão sobre a especificidade da criação para a infância ao mesmo tempo que reforçar os laços entre os vários profissionais do sector.   ///   O Encontro dividiu-se em dois dias, o primeiro mais focado na dimensão local e regional e o segundo abrindo para questões de âmbito nacional e internacional. O espetáculo A Grande Invasão, de Caroline Bergeron, abriu o encontro como objecto para reflexão conjunta e Alain Baczynsky, um veterano da cena jeune publique europeia, partilhou com os participantes a sua vasta experiência de descobridor de espetáculos.   ///   Para além da dimensão teórica o Encontro procurou criar condições de operacionalização futura de algumas das ideias alcançadas em conjunto. Esta programação, à semelhança da realizada no ano anterior, congregou diversos agentes locais, regionais e nacionais em torno da criação e programação para a infância, continuando a dar oportunidade aos participantes e à população de contactarem e refletirem com projetos para este público-alvo, ao mesmo tempo que a Companhia aprofundou a sua relação com o território e a comunidade local.   ///   Concepção e coordenação: António-Pedro, Caroline Bergeron, Dina Mendonça e Elisabete Paiva. Convidado: Alain Baczynsky. Produção executiva: Maria João Garcia Produção. Organização: Companhia Caótica.

A 1ª edição do Festival decorreu de 16 a 18 de Outubro 2015 no Museu Municipal e no Cineteatro Louletano, com uma programação que incluiu a apresentação de 5 espectáculos, sessões contínuas de cinema de animação e ficção, uma oficina e um Encontro-Reflexão que reuniu vários artistas, programadores e agentes culturais, nacionais e estrangeiros.   ///   No Encontro marcaram presença alguns programadores de entidades nacionais (CCB, Rivoli, Artemrede, casaBranca, Fundação Calouste Gulbenkian, entre outros), artistas (presentes no Festival e outros) bem como vários agentes culturais locais e regionais (das Câmaras de Loulé, Silves, S. Brás de Alportel e Lagos, Casa da Cultura de Loulé, Colégio Internacional de Vilamoura, Escola Dr.ª Laura Ayres de Quarteira, entre outros), bem como Jean Noel Mattray, orador convidado a partilhar da sua experiência no Cotê Cour/La Ligue de l’enseignement, em França.   ///   No total, certa de 40 pessoas participaram no primeiro encontro, realizado ao longo de todo o dia de 16 de Outubro, moderado pela filósofa Dina Mendonça, António-Pedro e Caroline Bergeron.

Fale conosco.

CONTACTOS

Estamos na escuta.

This is a unique website which will require a more modern browser to work!

Please upgrade today!