A MINHA BRACILAGEM – DIÁRIOS ORGÂNICOS DE SEREI@S

Ese a nossa vida ficasse escrita no nosso corpo? E se fica? Nas sereias, a bracilagem, uma espécie de barbatana que cresce no braço, tem marcados todos os acontecimentos importantes das suas vidas: os pais, os irmãos, os padrastos e as madrastas, os amores, as tempestades, as zangas, as mortes, os reencontros. E quando uma sereia morre, a sua bracilagem separa-se do corpo e vai parar ao fundo do mar. As sereias mais novas, quando têm dúvidas, vão até esse local –“os arquivos”– ler essas bracilagens para se inspirarem e procurarem soluções para os seus problemas. E assim o conhecimento dos que vêm antes passa para os que chegam depois, fazendo avançar esta curiosa civilização. Nesta oficina, vamos aprender não só a ler e interpretar as bracilagens das sereias como a construir o nosso próprio diário orgânico. E da tua vida, o que é que ficaria desenhado na tua bracilagem?

Conceção e orientação: Caroline Bergeron.

Rider Técnico

(…)
(…)
(…)
(…)
(…)

Caótica vem do caos, o início do mundo onde tudo estava junto e presente.

This is a unique website which will require a more modern browser to work!

Please upgrade today!